segunda-feira, 10 de outubro de 2011

ÉTICA: ORDEM E PROGRESSO

Infringir a Lei, seja ela qual for, é ilegal. Na área de cerimonial, essa infração, além de vergonhosa, pode desgastar e manchar a imagem de uma autoridade. O Cerimonialista, assim como em todas as profissões, deve obedecer a legislação. Por isso, seguimos a Lei Federal nº 5.700 de 1º de setembro de 1971 e alterações contidas em outras leis, além do Decreto nº 70.274 de 9 de março de 1972; que nos deixa claro a precedência e a postura em solenidades. Mas o descaso e descompromisso de cerimonialistas, sem o menor preparo, que atuam em órgãos municipais, estaduais e federais, contribuem para que o detentor do cargo público aja de forma inconstitucional. Famosas autoridades insistem em quebrar protocolos, criarem momentos e atitudes despojados. Pela tradição, pela preservação de uma rica e valiosa história, em solenidades, exige-se total respeito às normas de condutas públicas, seguidas por cerimonialistas e autoridades, pois, estas, como Instituição que representam, devem respeitar e cultuar ainda mais os Símbolos Pátrios. Por essas razões, algumas considerações parecem-me oportunas descrever.

Todos, como seres humanos, somos partícipes de símbolos e rituais. Estabelecemos parâmetros e paradigmas, os quais, mesmo sem sentir, introjetamos em nossa psique. Por tal motivo surgem costumes, e, como conseqüência: leis.

Percebemos em muitas situações, em vários níveis, até federal; total desarmonia do Cerimonial. Até o Mestre de Cerimônia, tem posse da palavra, pois "passa à palavra" e não a "anuncia", como deveria ser.

O Hino Nacional, cantado em ritmo de samba, com direito a tamborim, acham que pode? Pois pasmem, pode em cerimônia oficial. Minha revolta, não é só lógica, mas, principalmente constitucional e legal. Um Símbolo Nacional, o Hino Nacional, cantado como samba, sob arroubos de alegria!.

Se as mais importantes autoridades municipais, estaduais e federais, podem descumprir a lei em nome de uma opinião própria, porque os cidadãos comuns não poderão fazê-lo?

Se as autoridades não mudarem, urgentemente, a maneira de agir, buscando um melhor Cerimonial, que lhes oriente sobre gafes e descumprimentos de Leis e da Constituição, em breve, veremos como samba enredo o Hino Nacional; e a Bandeira conduzida mais uma vez, por uma porta bandeira. Uma "avacalhação" total!

Nós, cerimonialistas, temos a obrigação de orientar, principalmente aos Dignitários de cargos públicos, quanto às normas do cerimonial e protocolo. Não podemos esquecer o que representam à comunidade esses detentores de cargos públicos, e como tais, devem se portar e estar devidamente orientados e assessorados.

É preciso que se resgate o respeito, a seriedade, a tradição e a história devidos de eventos de grande notoriedade e credibilidade. Não se pode deixar que improvisos, ou momentos de descontração e instantes despojados tomem conta de cerimônias que envolvem muito mais do que as autoridades, que envolvem a sociedade que deposita sua confiança e respeito, e com certeza merece retribuição.
 


Dados do Autor Djair de Souza Santos
Djair de Souza Santos é Chefe do Cerimonial da Prefeitura de Praia Grande, Assessor da Presidência do CNCP e ministra cursos em todo o país.
 
Retirado do cncp.org.br 

Um comentário:

  1. O sub, a ameaça e a incoerência!

    O blog soube que o jornalista Carlos Cunha ameaçou processá-lo, por conta da publicação sobre acumulação de seu cargo de sub-secretário e diretor da rádio e jornal O Diário. Este blogueiro desconhece ter tratado do tema. É possível que a nota de uma dos blogs da nossa Rede Blog tenha passado em algum comentário de nota sobre outro assunto. Sem problemas.

    Este assunto da relação entre gestores da PMCG e da empresa de comunicação e a tentativa de identificar seus reais comentários, a que o blog saiba, já é objeto de questionamento policial e judicicial, e assim, talvez, fosse mesmo interessante esclarecer de uma vez por todas estas questões.

    O blog não tratou deste assunto, por julgar que há informações e debates mais importantes sobre o nosso município e a nossa região para serem aqui trazidos e debatidos. Porém, na medida que o assunto tenha vindo à tona pelo blog do ex-secretário, citando e ameaçando, inclusive este blog, não há como continuar a ignorar o assunto.

    Ameaças e denúncias vazias não metem medo a este blogueiro. Quem o acompanha há mais de sete anos já sabe disto. Sendo assim, o blogueiro foi conferir e não é que ainda no dia de hoje, 11 de outubro de 2011, o nome do diretor da empresa O Diário, está aqui, na lista de servidores do Portal da PMCG, matrícula, 21.641, setor Comunicação Social, cargo, sub-secretário.

    Engraçado, o jornalista, questiona a nota do blog que teve a dúvida sobre esta dupla e incongruente acumulação de funções, e foi incapaz de reclamar e solicitar que a gestão da PMCG que defende, que retirasse o seu nome com a função de sub-secretário de Comunicação do siteoficial?

    Cunha, você é uma pessoa com quem tive prazer me relacionar em diversas lutas, por tudo isto, respeitando a nossa atual diferença de posições e opiniões (aliás, algo que sempre fiz com todos de quem discordo), mas, não poderia imaginar que, em tão pouco tempo, tivesse a capacidade de absorver tantas características deste grupo. Eu lamento por isto, mas, não tenho como deixar de desejar que você reflita mais profundamente sobre suas novas práticas. No mais, a vida ensina.

    PS.: Veja abaixo a cópia da tela da lista dos servidores da PMCG. Não adianta, agora, retirarem do ar. Ela já foi devidamente copiada e arquivada com o registro da data de hoje:

    http://www.servidor.campos.rj.gov.br/plugins/editors/tinymce/jscripts/tiny_mce/plugins/filemanager/files/Prefeitura%20de%20Campos.pdf

    http://robertomoraes.blogspot.com/2011/10/o-sub-ameaca-e-incoerencia.html

    ResponderExcluir