quarta-feira, 24 de julho de 2013

Moda masculina



Ricardo Oliveros
Do UOL, em São Paulo


A tendência de romper os limites entre formal e casual passa tanto pela atualização de clássicos como o sapato oxford brogue, em versão de solado colorido e sem cadarço, quanto pela combinação de peças em alfaiataria com outras esportivas
Muitos homens adoram seus tênis, mas chega uma hora em que é necessário fazer um ritual de passagem e adquirir seu primeiro par de sapatos. Existem várias marcas e modelos e preços para todos os bolsos. Se você pretende adquirir apenas um, aprenda quais são as melhores escolhas para justificar o investimento.
O setor está aquecido neste ano. A previsão é que os brasileiros gastem R$ 40 bilhões com calçados até o final de 2013. Esse número representa uma média de gasto de R$ 245 por habitante, além de uma alta de 10%, diante do ano anterior. A classe C detém R$ 17 bilhões do potencial de consumo do país, seguida respectivamente pelas classes B (R$ 16 bilhões), A (R$ 3,8 bilhões) e DE (R$ 3,2 bilhões), segundo estimativas do estudo da Pyxis Consumo, do Ibope Inteligência.

A tendência de romper os limites entre formal e casual passa tanto pela atualização de clássicos como o sapato oxford brogue, em versão de solado colorido e sem cadarço, quanto pela combinação de peças em alfaiataria (calça) com outras esportivas (jaqueta) 
Existem vários mitos sobre os sapatos, que estão mais na cabeça do homem do que em seus pés. "É desconfortável"; "só dá para usar com roupas sociais"; "vou ficar parecendo um 'coxinha' [gíria para homens muito arrumados e certinhos]", "tênis combina com tudo o que eu uso, sapato, não". Tudo isso poderia ser verdade, desde que suas escolhas e combinações contribuíssem para tanto.
Sapatos não são necessariamente desconfortáveis
Se o sapato está literalmente pegando no seu pé, vale a pena saber se ele está no tamanho correto ou se você tem algum problema de saúde, como diabetes ou mesmo calosidades.
O calçado tem de ser confortável desde a hora que se experimenta na loja. Nada de comprar sapato apertado esperando que ele vá "lacear", pois, no máximo, ele se adapta à largura do seu pé, nunca ao comprimento. Não escolha o sapato somente pelo número, pois isso pode variar de uma marca para outra, assim como o estilo. Portanto não compre sem experimentar e não tenha vergonha de andar pela loja.
Sapatos estrangeiros e algumas poucas marcas no Brasil oferecem tamanho "meio ponto", com numeração intermediária.
Lembre-se que o dedo nunca deve encostar na frente do sapato, porque isso vai causar desconforto. O ideal é que exista uma pequena distância do dedo até a frente do sapato. Sapatos de bico fino e forma mais alongada podem ficar com a parte da frente um pouco levantada. Em outros tipos de sapato, quando o bico levanta, é sinal de que está muito grande.
O ritual de passagem para a vida adulta
A crença de que tênis combina com tudo é um mito. É muito comum ver homens usando o modelo de academia com jeans, o que, além de estragar seu visual, pode prejudicar seu calçado, que foi projetado para exercícios físicos. Claro que existe uma infinidade de modelos casuais que podem ser usados até com ternos mais modernos, desses mais justos. Todavia, chega uma hora em que é bom pensar em adquirir seu primeiro par de sapatos, algo como um ritual de passagem para a vida adulta.
Uma entrevista de emprego, ambientes de trabalho mais tradicionais, uma formatura, um casamento importante, entre tantas outras razões indicam que pelo menos um par de sapatos você deveria ter no seu guarda-roupa. Neste caso, o mais indicado é ter um bom sapato preto de amarrar.  Existem diferentes modelos e preços, mas basicamente o homem deveria reconhecer pelo menos dois tipos clássicos: o oxford e o derby.
O primeiro sapato amarrado com cadarços foi introduzido na Inglaterra em 1640, e logo se tornou popular entre os estudantes da Universidade de Oxford. A partir daí, o estilo e o nome se espalharam. Os sapatos oxford são caracterizados por serem um modelo fechado em que as perfurações para os cadarços são feitos diretamente no corpo do sapato e não em abas costuradas sobre a gáspea (porção dianteira do calçado).
O derby é parecido em formato com o oxford; a principal diferença é que a parte dos furos para o cadarço está situada em abas laterais costuradas sobre o corpo do sapato. Isto faz com que ele se adapte com mais facilidade a todas alturas do peito do pé.
Muito em alta na moda está o brogue. Não se trata de um tipo de sapato, mas sim de um tipo de acabamento: aquele perfurado decorativo feito, em geral, na ponta do sapato. Por isso, diversos modelos podem levar o brogue como apêndice no nome, ou seja, podemos ter um oxford brogue ou derby brogue.


Sapatos não combinam somente com roupas sociais
Pelos manuais de estilo mais tradicionais, o sapato social deveria ser usado com roupas formais, mas essa regra já foi modificada há algum tempo. Romper os limites entre formal e casual é uma das grandes tendências da moda masculina, vista nos desfiles internacionais para o verão de 2014 e em grandes centros urbanos. Os sapatos considerados formais, como o modelo oxford e o derby, podem ser combinados com jeans, com calças de barras mais curtas e podem até ser usados sem meias, em um resultado mais casual. Ou seja, dá para usar sapato e parecer "descolado" ao mesmo tempo.

Nossa nota: não concordo com tudo que está na reportagem: existem imagens de roupas e combinações que eu não gosto, assim como acho horrível a sugestão e a prática de usar terno com tenis e/ou usar sapato social sem meia. Sapato sem meia, na minha opinião, além de desconfortável, fica é muito feio. Para mim, quem quer parecer "descolado" fica com a imagem de desleixado, relaxado mesmo.


quinta-feira, 18 de julho de 2013

Pai: o que é política?

Essa quem me lembrou foi o amigo Dario Marinho
- Pai, eu preciso fazer um trabalho para a escola! Posso te fazer uma pergunta?


- Claro, meu filho, qual é a pergunta?


- O que é política, pai?


- Bem, política envolve: Povo; Governo; Poder econômico; Classe trabalhadora; Futuro do país.


- Não entendi, dá para explicar?


- Bem, vou usar a nossa casa como exemplo: Sou eu quem traz dinheiro para casa, então eu sou o poder econômico. Sua mãe administra e gasta o dinheiro, então ela é o governo. Como nós cuidamos das suas necessidades, você é o povo. Seu irmãozinho é o futuro do país. A Zefinha, babá dele, é a classe trabalhadora. Entendeu, filho?


- Mais ou menos, pai vou pensar.


Naquela noite, acordado pelo choro do irmãozinho o menino foi ver o que havia de errado. Descobriu que o irmãozinho tinha sujado a fralda e estava todo emporcalhado. Foi ao quarto dos pais e viu que sua mãe estava num sono muito profundo. Foi ao quarto da babá e viu através da fechadura o pai transando com ela... Como os dois nem percebiam as batidas que o menino dava na porta, ele voltou para o quarto e dormiu. Na manhã seguinte, na hora do café, ele falou para o pai:


- Pai, agora acho que entendi o que é política...


- Ótimo filho! Então me explica com suas palavras.


- Bom pai, acho que é assim: Enquanto o poder econômico fode a classe trabalhadora, o governo dorme profundamente. O povo é totalmente ignorado e o futuro do país fica na merda!!!

quarta-feira, 17 de julho de 2013

Bandeiras no Tribunal

O Marcelo Bessa me manda um link (aqui) e uma mensagem:
-Olha as bandeiras!
Fui lá, vi e trago para uma rápida análise:

Trata-se de uma reportagem sobre o julgamento do Goytacaz, time de Campos dos Goytacazes que está sendo punido por irregularidade na escalação de um jogador. Reparem nas bandeiras colocadas atrás da mesa principal e veja que elas estão na ordem invertida: já que é em número par, a do Brasil deveria estar no lado direito.
Pesquisei mais ainda e encontrei outra reportagem (aqui) falando do mesmo assunto e nova foto por um outro ângulo:

Programação de aniversário

A Uenf acaba de divulgar, por intermédio da Ascom, a programação comemorativa pelos seus bem vividos 20 anos:
A UENF completa 20 anos de atividades em 16/08/13. Neste dia, no ano de 1993, foi realizada a primeira aula no campus universitário. Para marcar a data, uma vasta programação se estenderá por toda a semana de aniversário, com início em 12/08 e término em 16/08. O ápice da programação será a Sessão Solene do Conselho Universitário da UENF, marcada para as 15h de sexta-feira, no Centro de Convenções. Na ocasião, serão concedidas homenagens a representantes da comunidade externa e interna.
Veja a programação (ainda sujeita a alterações):
Dia 12 (SEGUNDA)
8h – Hasteamento da Bandeira
18h – Abertura da Gincana (a confirmar)
18h – Abertura do Torneio de Futebol
Dia 13 (TERÇA)
10h – Inauguração da placa em homenagem a Cícero Guedes
17h – Lançamento do livro Uma Casa, muitas vozes: histórias dos primeiros 20 anos da UENF
18h – Noite Cultural
Dia 14 (QUARTA)
9h – Café com Ciência
17h – Festival de Música
20h – Churrasco comemorativo (por adesão)
Dia 15 (QUINTA)
16h – Apresentação dos projetos comunitários da PROEX
15h – Sessão Solene na Câmara Municipal de Campos
18h – Final do Torneio de Futebol
18h – Final da Gincana (a confirmar)
Dia 16 (SEXTA)
14h – Descerramento da Placa Centro de Convenções Oscar Niemeyer
14h30 – Inauguração dos bustos de bronze de Niemeyer/Brizola/Darcy
15h – Sessão Solene do Consuni
17h – Coquetel
link:  http://www.uenf.br/dic/uenf-20-anos/


domingo, 14 de julho de 2013

O último botão do paletó

por Eliane Sapede


É interessante como algumas dúvidas sobre etiqueta e vestuário persistem ao tempo! Deixar aberto ou fechado o último botão do paletó de um terno é uma delas.

Outro dia fui a um evento e absolutamente todos os homens estavam com o último botão do paletó desabotoado. Fiquei olhando e pensando se eles sabiam “ por que” e “quando” deveriam deixar o último botão aberto. Pelo visto que não sabiam!

Para os cavalheiros que usam terno no cotidiano ou esporadicamente é bom saber que o último botão do paletó só deve ser desabotoado ao sentar, para facilitar o gesto e o casaco não ficar prendendo nos quadris. Ao levantar, o botão deve ser abotoado, mantendo a função para a qual foi criado, que é a de manter o paletó fechado e elegante, com um bom caimento.

O paletó aberto por completo só em momentos de intimidade e descontração pois passa sensação de desleixo.

Saber usar o terno corretamente é uma arte. Por este motivo vemos que alguns homens ficam muito bem com este vestuário, já outros são um verdadeiro desastre. Observe bem e veja que não é uma questão de ter o porte elegante e musculoso. É mais do que isso! É a atitude, a intimidade com a gravata, a camisa de colarinho e o terno. É a postura, sentir-se bem, totalmente à vontade com este tipo de roupa, e vamos combinar: nós mulheres adoramos ver um homem com um belo terno.

Não é de hoje que o vestuário compõe a imagem de sucesso. O terno usado de forma correta impõe credibilidade e autoridade, e se você deseja ser um vencedor , preste a atenção nestas dicas:

Uso correto do terno

A gola deve assentar no pescoço;

Os colarinhos sociais e esportivos são os sinais mais visíveis da elegância de um homem. Maiores que o pescoço desaba qualquer rosto e apertados, sufocam o visual;

Camisa, sua combinação com a gravata pode demonstrar atitude moderna ou decepcionar de cara. Estes itens devem ser atualizados a cada estação;

Ombros lisos, sem ondulações ou repuxados. Maiores ou menores criam um ar desmontado ou desconfortável;

Lapelas bem assentadas e mangas terminando no encaixe entre pulso e mão;

As mangas devem cair impecáveis em camisas e paletós com os comprimentos certos. Curtas deixam qualquer um deselegante ou mesmo cafona. Compridas, acabam com qualquer sinal de elegância. E não basta dobrar as mangas para dentro;

A largura do casaco deve ser do tamanho do corpo. Justo demais parece que encolheu na lavagem, largos, engordam e deixam a silhueta mais baixa;

Botões discretos e sempre que possível, use abotoados;

O comprimento não deve passar muito das nádegas e nem ser muito curto. Quanto mais longo, as pernas parecem menores;

Aberturas traseiras podem ser: no meio, as preferidas dos ternos americanos (medem 17 a 22 cm). As laterais são as preferidas dos ingleses;

Terno - convencionou-se a chamar a dupla  paletó e calça de terno, mas o correto seria “costume”, já que o terno vem com o colete;

O jaquetão ou terno de abotoamento duplo é o mais formal;

O terno quatro botões são os menos clássicos, assim como os ternos de um botão;

Três botões são os mais tradicionais de todos e ficam bem para todo mundo;

Dois botões deixam mais à mostra a camisa e a gravata. Capriche na combinação – camisa, gravata;

O vinco da calça deve correr reto de cima até embaixo, sem fazer curvas no joelho e o cumprimento deve desabar sobre o peito do pé, sem sobra na frente e atrás. Cuidado com o look “pula-brejo”;

A gravata deve cobrir o furo do cinto, nada mais. As lisas são mais formais e a regimental (listra na diagonal) é sempre elegante. A gravata é a parte mais versátil do traje masculino. Com ela, o homem pode passar um pouco da sua personalidade e de seu estilo. As tonalidades variam muito, mas deve-se buscar as mais clássicas, como preto, marinho, vinho, bege ou amarelo.

Calças, sapato e meias

Calças, as modelagens de volume moderadas para o ajustado são as que vestem eternamente bem;

O comprimento, especialmente as formais, deve ter a bainha marcada corretamente. Curtas comprometem, longas demais acabam com o visual;

Se quiser uma calça menos esportiva, tipo passeio, compre uma de gabardine, bege, com duas pregas e barra italiana;

Esportiva clássica, cor gelo, sem pregas, barra simples, na gabardine, brim ou popeline pesada;

Curinga absoluto no inverno, cinza mescla, com duas pregas, fica bem com blazer e gravata, suéter e jaqueta esportiva;

A calça jeans para o trabalho, o tradicional jeans five-pockets (cinco bolsos), escuro é o melhor, apenas amaciado, sem lavagens agressivas;

O sapato deve ter a mesma cor do cinto e da meia. Escolha sapatos adequados ao tipo de roupa. Os amarrados combinam com tudo, até com roupas informais. Os esportivos só se prestam a produções informais;

A meia é como o juiz de futebol, quanto menos aparecer, melhor. Perna masculina cabeluda aparecendo nem pensar. Atenção com as meias, na dúvida, combine com os sapatos. Aconselho que a pasta acompanhe a combinação, isso favorece o conjunto.

Fonte de pesquisa: champagnedascinco.wordpress.com

 No blog da minha amiga Fatima Ziegler (aqui) tem mais sobre esse assunto.

Gelada ou quente

A nossa língua pátria é realmente fascinante:
Uma pessoa no restaurante pede ao garçom:
- uma água sem gás e sem gelo, por favor.
O profissional volta e traz um copo com água e uma garrafinha com água gelada.
O cliente reclama:
- Por favor: eu pedi uma água sem gelo!
- Mas eu não trouxe gelo, senhor. Não tem gelo nem na garrafa nem no copo, retrucou.
Aborrecido o cliente pede então:
- O que eu quero é uma água quente, por favor.
Após alguns minutos volta o rapaz e serve um copo d'água quente.
Mais uma vez o freguês torna a reclamar:
- O garçom!
- esta água está aquecida.
E o garçom:
- E não foi o que o senhor pediu?

O cliente só queria uma água que estivesse na mesma temperatura do ambiente.







AULA DE DIREITO

Tirada do facebook de uma postagem atribuída a Daniel Aragão.



AULA DE DIREITO

Primeiro dia de aula, o professor de 'Introdução ao Direito' entrou na sala e a primeira coisa que fez foi perguntar o nome a um aluno que estava sentado na primeira fila: 
- Qual é o seu nome? 
- Chamo-me Nelson, Senhor. 
- Saia de minha aula e não volte nunca mais! - gritou o desagradável professor. 
Nelson estava desconcertado. Quando voltou a si, levantou-se rapidamente, recolheu suas coisas e saiu da sala. 
Todos estavam assustados e indignados, porém ninguém falou nada. 
- Agora sim! - vamos começar . 
- Para que servem as leis? Perguntou o professor - Seguiam assustados ainda os alunos, porém pouco a pouco começaram a responder à sua pergunta: 
- Para que haja uma ordem em nossa sociedade. 
- Não! - respondia o professor. 
- Para cumpri-las. 
- Não! 
- Para que as pessoas erradas paguem por seus atos. 
- Não!
- Será que ninguém sabe responder a esta pergunta?! 
- Para que haja justiça - falou timidamente uma garota.
- Até que enfim! É isso, para que haja justiça. 
E agora, para que serve a justiça? 
Todos começaram a ficar incomodados pela atitude tão grosseira. 
Porém, seguíamos respondendo: 
- Para salvaguardar os direitos humanos...
- Bem, que mais? - perguntava o professor . 
- Para diferençar o certo do errado, para premiar a quem faz o bem...
- Ok, não está mal porém respondam a esta pergunta: 
"Agi corretamente ao expulsar Nelson da sala de aula?"
Todos ficaram calados, ninguém respondia. 
- Quero uma resposta decidida e unânime! 
- Não! - responderam todos a uma só voz. 
- Poderia dizer-se que cometi uma injustiça? 
- Sim!
- E por que ninguém fez nada a respeito? Para que queremos leis e regras se não dispomos da vontade necessária para praticá-las? Cada um de vocês tem a obrigação de reclamar quando presenciar uma injustiça. Todos. Não voltem a ficar calados, nunca mais! Vá buscar o Nelson - disse. Afinal, ele é o professor, eu sou aluno de outro período.

Aprenda: Quando não defendemos nossos direitos, perdemos a dignidade e a dignidade não se negocia.
 

sábado, 13 de julho de 2013

Homens de terno? Tudo o que você precisa saber sobre o traje

Abaixo, está reproduzida uma bela matéria sobre vestimenta masculina.Veja


Dois segundos. É esse o tempo para o outro criar uma impressão a nosso respeito, segundo a Universidade de Harvard. Uma impressão que pode ou não se confirmar de acordo com nossas atitudes, postura e, principalmente, caráter. Mas na hora de se apresentar para um cliente, conduzir uma reunião ou até mesmo numa entrevista de emprego essa impressão causada pela imagem pode ser decisiva.

Este é um dos motivos que muitas empresas adotam o terno como “uniforme de trabalho masculino”.  O conjunto de paletó e calça, acompanhado de camisa e gravata, transmite seriedade, credibilidade e a formalidade que algumas profissões necessitam. “Uma roupa intimamente ligada à ideia de poder”, segundo Fernando de Barros em seu livro Elegância – Como o homem deve se vestir.
Usar o terno como ferramenta para passar a melhor das impressões tem também seus truques. É importante que a modelagem favoreça o tipo físico, enquanto as combinações entre camisas e gravatas ajudam a expressar a personalidade.

Algumas dicas que podem ajudá-lo a compor um look formal sob medida, ou seja, levando em conta o que o favorece e seu gosto pessoal:
  •      O paletó deve se ajustar perfeitamente ao formato dos ombros. É a primeira coisa que você deve observar na hora de comprar um terno.
  •     A modelagem ideal cai rente ao corpo sem marcá-lo: o paletó não pode ser justo, nem largo demais – já que o excesso de tecido dá a impressão de que se é mais "cheinho". Experimente até encontrar a modelagem que vista melhor em você.
  •   A manga da camisa deve aparecer sob o paletó: use a camisa cerca de 1 centímetro mais comprida do que o paletó para um visual mais elegante e alongado.
  Uma sutileza que faz muita diferença: o colarinho mais adequado ao seu tipo físico. Escolha o que te mais favorece, de acordo com as dicas abaixo
  
 
 Atenção às mangas compridas demais e às barras das calças cheias de sobras: na hora da compra atente a esses detalhes que fazem a diferença e peça ao vendedor para deixá-las na medida exata para você. A barra da calça deve estar na altura do peito do pé, sem sobras

  •   O último botão do terno deve ser usado sempre aberto.
  •  A gravata deve estar acima do cinto. 
  •  A cor da meia deve estar alinhada com a cor da calça e do sapato. A palavra-chave aqui é discrição: quanto menos se destacarem, melhor.





  • Personalize o jogo entre camisa e gravata de acordo com seu estilo. Mais discreto? Camisa lisa ou listrada com gravata lisa sempre dá certo. Gosta de um pouco mais de ousadia? Misture padrões como o quadriculado da camisa com as listras da gravata. Para não errar na combinação procure uma cor em comum entre as estampas.
  • Sapatos clássicos de couro completam a produção. O preto é um curinga: vai bem com terno azul marinho, preto e cinza – as melhores cores para se ter no  guarda-roupa.  
  • Não custa lembrar: esqueça as gravatas de personagem ok?

NOTA DO BLOG:
O Ponto que fala sobre botão aberto do paletó, será motivo de nova postagem muito em breve.
 


terça-feira, 9 de julho de 2013

Bandeiras no Senado

Não consigo deixar de prestar atenção às bandeiras, em todos os lugares. Desta vez foi durante um jornal do SBT, que voce pode conferir aqui.
A reportagem tratava da polêmica espionagem sofrida pelo nosso país por agentes dos EUA e mostrava uma reunião da Comissão de Relações Exteriores do Senado Federal (foto ao lado). Repare que existem duas bandeiras sendo a do Brasil e uma outra que não consegui identificar. Se é número par, a bandeira do Brasil, por ter maior precedência de que qualquer outra tem que estar numa posição ..."Central ou a mais próxima do centro e à direita deste"... conforme o inciso I do Art. 19 da Lei 5700 de 01/09/71, que regulamenta a forma e a apresentação dos símbolos nacionais.
 

A roupa certa

Para nós cerimonialistas que temos que lidar com diversos tipos de vestimentas e até mesmo instruir recepcionistas e secretárias em algumas oportunidades, aí vai um bom vídeo com dicas da Gloria Kalil sobre roupas de trabalho para uma secretária.
video
Acho até que teria que ter umas dicas que ficassem permanentemente nas ruas para que algumas pessoas pudessem ter um pouco mais de noção do que vestir e, principalmente, do que nunca vestir.

segunda-feira, 8 de julho de 2013

Grafeno

Voce já ouviu falar em GRAFENO?

Provavelmente num futuro próximo nós todos tenhamos muitas notícias e muitas revoluções no campo da tecnologia graças a esse material que tem sido tratado como "material do futuro".

Até mesmo o diagnóstico do maldito câncer deve ter influencias positivas graças ao tal grafeno.

Veja reportagem completa aqui.

domingo, 7 de julho de 2013

O Brasil descobre as viagens de Cabral

Esse Cabral não sou eu!

A revista Veja traz uma excelente reportagem sobre os absurdos voos do governador do estado do Rio de Janeiro.
As fotos foram feitas na Coordenadoria Adjunta de Operações Aéreas (Caoa), na Lagoa e muitas delas foram tiradas por um outro Cabral que também não sou eu.

Apesar da brincadeirinha com o sobrenome, o assunto é muito sério e em tempos de manifestações cheias de razões, lembro de uma faixa que li no face e traga para o blog na forma de conselho:

Veja a reportagem completa com todos os desmandos do Governador, seu vice, sua família e até do presidente da Alerj aqui ou clique na sequencia de fotos.

quarta-feira, 3 de julho de 2013

Gravata: aprenda a escolher o modelo certo



Quem é obrigado a trabalhar com roupa social, ou simplesmente gosta de usar peças mais formais no dia a dia, nem sempre está 100% confiante em relação ao visual. Combinar a gravata com a camisa, por exemplo, é uma das dúvidas mais comuns entre os homens e, dependendo da escolha, pode destruir qualquer produção. Pensando nisso, a reportagem do iG Moda  conversou com três profissionais de moda masculina e preparou um guia prático para você não errar na hora de comprar uma gravata, além de dicas de tendência, tecidos e muito mais.
 
TENDÊNCIA
Há décadas, a alfaiataria tornou-se fundamental nos editoriais de moda e desfiles (masculinos e femininos). Logo, a gravata virou tendência mundial, deixando de ser exclusividade dos executivos. "Hoje, não tem mais idade ou ocasião que limite o uso da gravata, já que os padrões estão bem democráticos", confirma Hervé Tomedi, coordenador de estilo da Dudalina. Para Luiz Aziz Neto, consultor de estilo  e proprietário da Alfaiataria Persona, a gravata e os costumes e calças têm ficado mais finos. "Atualmente, uma gravata tem aproximadamente de 7 a 7,5 centímetros de largura na ponta, menos listras e mais desenhos miúdos e xadrezes."

TECIDOS
"O tecido mais bacana é a seda", garante Aziz Neto. Segundo ele, a seda mais comum costuma ser produzida ao norte de Milão, na Itália, numa cidadezinha chamada Como. "As gravatas de seda pura são mais charmosas e trazem todo o glamour da gravataria. Não pense em outro tecido: o brilho, a textura e o caimento são perfeitos", diz Tomedi. Já a gravata de baixa qualidade, principalmente feita de poliéster, tem curta duração e pode formar bolinhas, fior repuxados e soltar pelos.

CUIDADOS
De acordo Tomedi, antes de escolher a gravata ideal para compor o figurino, é interessante prestar atenção na qualidade da peça e prezar pelo excelente acabamento e perfeito caimento. A cor também tem de estar de acordo com a ocasião. "Durante uma reunião de negócios ou em momentos em que o homem precisa ser notado, o tom deve ser marcante e contrastante com o look. Já no dia a dia, as cores medianas são ideais, podendo contrastar com a roupa de uma maneira mais sutil." Para jantares ou confrarias, as cores mais sóbrias são apropriadas (mesmo em contraponto ao traje). "O contraste sempre fica bacana, o importante é saber dosar os tons para cada situação. Neste caso, o “ton sur ton” pode ser usado, mas com o cuidado de não parecer pálido ou tímido." E, claro, evite as gravatas com desenhos infantis, frases, cores berrantes.


O MODELO IDEAL PARA CADA OCASIÃO
"A gravata tem o poder de apresentar o homem em cada momento, lembrando que a cor é o principal item. Hoje, o modelo normal alongado até o cinto pode ser usado em todas as situações: jantar, casamento, formatura ou eventos de moda", diz o coordenador de estilo da Dudalina. Confira as dicas dos profissionais: 

 - No casamento: principalmente para o noivo e os padrinhos, fica elegante usar modelo prata liso ou maquinetado. Dependendo do caso, vale até investir numa gravata borboleta.
- Look fashion: pode-se ousar com uma gravata borboleta xadrez, bem na linha preppy (dos uniformes das escolas norte-americanas). A peça de crochê (de seda) está em alta em alguns países e, aos poucos, começando a ser aceita no Brasil. "É aconselhável procurar os modelos atuais, mais longos que os usados em décadas passadas", explica Tomedi.
- Traje a rigor: tudo o que se permite variar em moda perde o efeito e você precisa seguir exatamente o que a especificação do traje exige.

- Jantar de negócios: procure usar algo mais sereno e conservador, nos tons marrom, grafite, musgo, bordô, marinho ou uva.

- Jantar romântico: escolha algo nos tons médios e mais quentes (variantes de vermelho, verde e marrom) ou com mistura de cores que agradam as mulheres (rosa, lilás, azul bebê).

- Trabalho: "Depende muito da profissão. Um advogado, por exemplo, deve remeter seriedade e use cores escuras. Se o profissional trabalhar na área da saúde, deve remeter confiança e usar cores quentes. Já um publicitário pode apostar em cores claras, que remetem a criatividade", sugere Aziz Neto.

PARA CADA CAMISA, UMA GRAVATA
Cada camisa merece um tipo de gravata, tanto na estamparia quanto no tamanho do colarinho ou modelo do terno. "É necessário tomar alguns cuidados, como evitar cores berrantes, xadrez exagerado, camisas curtas no punho, calças curtas nos tornozelos e roupas de tamanho menor ou maior do que o manequim real da pessoa. O exagero de acessórios ou cores desconectadas também estraga qualquer visual”, aconselha Fernanda S, consultora de moda da Remo Fenut. Há algumas regras que também ajudam nas combinações de camisas e gravatas:
- Camisa branca: é sempre uma peça-chave do guarda-roupa masculino. Elas caem muito bem com todos os tipos de gravatas e aceitam diferentes combinações.
- Camisa azul: com essa cor é possível seguir a regra da camisa branca, especialmente as mais claras. Boa para quer gosta de variar no dia a dia.
- Camisa listrada: é necessário ter mais cuidado na escolha da gravata, pois requerem atenção tanto com a largura das listras, quanto com as cores.
- Camisa com quadriculado pequeno: peças assim caem melhor com fundo neutro como branco e azul para ocasiões mais formais.

CONSIDERAÇÕES FINAIS
Tanto as gravatas tradicionais quanto as mais finas podem dispensar os prendedores, ainda que o acessório seja um clássico dos guarda-roupas masculinos. “Fique atento ao tamanho correto da gravata: ele deve ser até o começo da fivela do cinto. Para o nó, faça o que sabe melhor, considerando que o colarinho italiano precisa ser preenchido", alerta Fernanda.

Eduardo Diório – www.ig.com.br